segunda-feira, 10 de outubro de 2022

Schnitzel

Receita de origem austríaca que ficou mais conhecida na Alemanha e que podemos traduzir como uma bela milanesa de carne de porco. No preço que anda a carne vermelha, a gente precisa se virar para conseguir manter o consumo de proteína, e eu sei, antes que eu receba comentários de vegetarianos, que a gente consegue proteína de muitas outras formas e não precisa da proteína animal. Mas aqui em casa, ainda que tenhamos diminuído o consumo de carne, meu marido e meu filho gostam muito e por isso, eu procuro variar o tipo de carne, buscando o melhor preço.

Um corte que tenho utilizado muito é o mignon suíno, que é um corte super macio, saboroso e de cozimento mais rápido. Costumo utilizar para o preparo de strogonoff, bifes, escalopes e nesse caso, para fazer o schnitzel, que geralmente é feito com lombo de porco mas eu, particularmente, acho um corte perigoso, pois pode ficar um pouco seco.

A preparação é simples e o acompanhamento idem, afinal, a combinação mais clássica para acompanhar essa carne é o purê de batatas, que aqui leva um ingrediente a mais que dá um toque delicioso, o suco de limão. Vamos conferir a receita?

Ingredientes:

Schnitzel:

- 600g de filé de mignon suíno ou 4 bifes de lombo de porco
- 2 ovos
- 1 xícara chá de farinha de trigo
- 1 xícara chá de farinha de rosca ou farinha panko
- Sal ou tempero caseiro a gosto
- suco de 1/2 limão
- Pimenta do reino a gosto
- 1 1/2 xícara chá de óleo vegetal

Purê de batatas cítrico:

- 500g de batata inglesa
- 1 dente de alho
- 1 colher sobremesa de manteiga
- noz moscada a gosto
- sal a gosto
- 1 colher sobremesa de suco de limão

Preparo:

Schnitzel:

- Tanto para o uso do mignon como para o do lombo, é importante que a carne não fique com uma espessura muito grossa, pois ela precisa cozinhar dentro do empanado rapidamente, para não queimar por fora. Por isso, corte o mignon em pedaços de 200g, coloque entre dois plásticos e com a ajuda de um martelinho de carne ou batedor, vá "espalhando" a carne até que ela fique com uns 3 milimetros de espessura;
- Tempere com sal ou tempero caseiro a gosto, suco de 1/2 limão e pimenta do reino a gosto;
- Bata os ovos em um prato e separe cada farinha em um prato para empanar;
- Comece passando cada pedaço de carne na farinha de trigo e bata para retirar o excesso. Em seguida passe nos ovos batidos e por último na farinha de rosca;
- Frite em óleo em temperatura média/alta até que fique dourado. Retire e deixe escorrer, de preferência em um escorredor, sem papel, para que o ar passe por toda a carne e não fique encharcado.

Purê de batata cítrico:

- Descasque as batatas e coloque para cozinhar em água com um pouco de sal e o dente de alho descascados e inteiro;
- Quando as batatas estiverem amolecidas, reserve 1/4 xícara chá da água do cozinho e escorra o restante;
- Amasse as batatas e o alho com um amassador ou utilize um espremedor de batatas;
- Adicione as batatas amassadas a manteiga, a noz moscada, o sal e a pimenta do reino a gosto, misturando bem;
- Coloque o suco de limão, mexa e se o purê estiver muito grosso, adicione aos poucos a água do cozimento que está reservada, até que fique no ponto desejado.

Rendimento: Serve 2 pessoas que comem bem
Tempo de preparo: 40 minutos
Grau de dificuldade: Fácil

Sério, esse purê com toque de limão é o acompanhamento perfeito para este prato! Como diria meu vô Diogo, de quem morro de saudades: "Com um prato desse, não precisa nem de mistura"...rs...rs...rs.

Espero que tenham gostado!
Beijos,
Fla.

segunda-feira, 19 de setembro de 2022

Bruscheta clássica


Se tem uma entrada rápida, fácil e muito saborosa é a bruscheta e essa combinação clássica de tomate concassê, manjericão e parmesão, sem dúvida alguma é a minha predileta. Mas eu também acho que algumas dicas são importantes para que ela fique perfeita e vou compartilhar com você algumas delas.

Utilize um pão de qualidade! Pode ser feito com pão francês? Pode, claro! Mas a acidez do pão faz toda difença e por isso, comprar uma baguete clássica, de fermentação natural, vai fazer uma diferença enorme para esta receita. 

Azeite bom é investimento! Nem sempre azeite bom é azeite caro, mas desconfie dos muito baratos, em embalagens que não sejam de vidro escuro e principalmente, cuidado para não levar misturas de azeite e óleo. Eu gosto muito de usar no dia a dia um azeite mais em conta, e compro uma garrafa de um mais caro, para momentos especiais. E sim, para fazer uma boa bruscheta, se puder, invista em um azeite de melhor qualidade que trará um sabor extra.

Cuidado com o alho! Você pode até gostar bastante de alho, mas na receita da bruscheta clássica o alho deve aparecer como um toque especial, muito sutil, algo que a pessoa sinta e pense: "Hum, tem um saborzinho no fundo que traz um perfume...". E só! 

Pão douradinho sempre! Doure o pão em uma frigideira para que você não perca a maciez do miolo do pão, que é muito importante para absorver o "caldinho" do tomate na receita. Pão assado, pode ficar torrado demais.

Parmesão é sempre ralado na hora!. Pelo amor de Deus não me use parmesão de saquinho, que muitas vezes sai bem mais caro e nem é apenas queijo que você estará levando para casa. Leia o rótulo.

E acho que é isso. Dicas simples mas que vão fazer toda a diferença! Agora vou te ensinar passo a passo como preparar esta bruscheta.

Ingredientes:

- 1 baguete média (cerca de 8 fatias)
- 3 tomates italianos maduros porém firmes
- 1 dente de alho pequeno
- 1 colher sopa de manteiga com sal
- 2 colheres sopa de azeite
- suco de 1/2 limão
- 1/2 xícara chá de parmesão ralado bem fininho
- sal e pimenta do reino a gosto

Preparo:

- Corte a baguete em fatias de cerca de 1 dedo de espessura, passe a manteiga em um dos lados e doure em uma frigideira até que fiquem douradas;
- Parta o dente de alho ao meio e esfregue levemente nas fatias para perfumar. Tente não passar muito nas bordas do pão que certamente estarão mais tostadas, pois elas podem "retirar" alguma parte do alho e ficar muito forte. Reserve;
- Parta os tomates ao meio, retire as sementes e corte em cubos pequenos. Transfira para uma vasilha e tempere com o limão, 1 colher sopa de azeite, sal e pimenta do reino a gosto. Reserve;
- Coloque as fatias da baguete já douradas em uma tábua ou travessa, por cima coloque o tomate picadinho e por último coloque o parmesão (que se você puder ralar na hora, melhor ainda);
- Por último, enfeite com folhinhas de manjericão e regue com o restante do azeite para servir.

Rendimento: Serve 4 pessoas se for uma entrada ou 2 se for para uma noite de petiscos
Tempo de preparo: 45 minutos
Grau de dificuldade: Moleza

Deu água na boca, não deu? Receita simples, cheia de dica e repleta de sabor! E vou deixar mais uma dica também. Se quiser, você pode deixar várias fatias de pães já tostadas e passadinhas no alho e servir com diversas opções de cobertura para as bruschetas. Além dos tomatinhos você pode fazer uma pasta bem rústica de gorgonzola, damasco seco picado e um pouco de cream cheese, cogumelos shitake salteados ou aquele brie derretido com mel. Tenho certeza que seus convidados irão amar! 

Espero que tenham gostado.
Beijos,
Fla.

segunda-feira, 5 de setembro de 2022

Patê de feijão fradinho


Você já imaginou comer patê de feijão? Pois então, durante minha ausência do blog e das redes sociais do Arte na Cozinha, rolou uma tentativa séria de virar vegetariana da minha parte. Falhei miseravelmente, ainda que eu tenha reduzido muito o consumo de carne depois desse período. Mas não foi de tudo perdido este tempo, pois pude conhecer e aprender receitas deliciosas que estarão para sempre no meu cardápio, como é o caso desse delicioso patê ou pasta de feijão fradinho, como diz o nome da receita original.

A receita aliás, eu achei na internet, no blog das queridas Marola com Carambola e aproveitei que cozinhei feijão a mais, para preparar algo diferente. Patê de grão de bico sempre rola aqui em casa, mas de feijão foi a primeira de muitas vezes, pois agora sempre que cozinho o feijão fradinho, já separo um pouco para este patê que fica incrível.

A receita original você confere clicando aqui mas vou deixar os ingredientes e passo a passo logo abaixo para vocês. 

Ingredientes:

- 1 xícara chá de feijão fradinho cozido
- 1 dente de alho pequeno (se for grande, utilize meio para não ficar muito forte)
- 1/2 xícara chá de folhas de coentro ou salsinha (mas use coentro se gostar, pq faz toda diferença)
- suco de 1/2 limão
- 1 col. café de pimenta síria ou pimenta calabresa
- 2 colheres sopa de azeite
- sal a gosto

Preparo:

- Em um processador some os ingredientes e bata até virar uma pasta. Não bata demais, deixe ela ainda um pouco grossa, mas caso fique difícil de bater, você pode colocar um pouquinho de água;
- Se quiser fazer no liquidificador, use a tecla pulsar, senão ele corre o risco de ficar muito líquido;
- Coloque em uma vasilha, regue com um fio de azeite e pimenta do reino moída;
- Sirva com torras ou com pão sírio torrado.

Rendimento: serve 2 pessoas
Tempo de preparo: 15 minutos
Grau de dificuldade: Moleza

O feijão fradinho é excelente fonte de proteína e pode virar uma salada deliciosa, um bolinho ultra gostoso e claro, este patê que também é uma ótima opção para o café da manhã, acompanhado de um pãozinho.

Espero que tenham gostado!
Beijos,
Fla.

sexta-feira, 2 de setembro de 2022

Risoto de manteiga e sálvia


Tenho verdadeira adoração por esta combinação: manteiga e sálvia. E até então, nunca tinha pensado em utilizar em alguma preparação que não fosse com massas, mas como oportunidades surgem e nem sempre a despensa está cheia, foi essa combinação que rendeu um risoto maravilhoso e com pouquíssimos ingredientes.

Aqui em casa eu tenho um pé de sálvia que já passou por muitas mudanças, tempos que eu me esqueço de regá-lo, mas ele segue firme, forte e resistente! Então, quando a coisa aperta e preciso fazer uma refeição rápida, eu sempre recorro a ele. Aliás, a sálvia fica deliciosa em preparações com carne de porco e até peixes. Ela tem um sabor único, é meio perfumada e cítrica, e deve ser sempre servida cozida ou frita, pois ela crua, tem um sabor residual estranho.

E posso garantir que no risoto ela ficou sensacional! A única coisa que não ficou legal nessa receita foi o arroz arbóreo. Comprei uma marca nacional para experimentar, de um produtor conhecido pelo arroz agulhinha, mas olha, que decepção. O grão nem termina de cozinhar e já se parte, mas enfim, eu não vou jogar fora, né? Então, dei o melhor melhor para que ele ficasse gostoso e ficou, no sabor, ficou perfeito.

Ingredientes:

- 1 xícara de arroz de arbóreo
- 1/4 de cebola picada em cubinhos
- 2 e 1/2 xícara chá de caldo de legumes ou outro de sua preferência
- 1/4 chá de vinho branco seco
- 2 colheres chá de manteiga 
- 12 folhas de sálvia fresca
- 2 fatias de bacon (opcional)
- suco de 1/2 limão
- sal a gosto
- um fio de azeite para finalização (opcional)

Preparo:

- Coloque as fatias de bacon em um prato, entre folhas de papel toalha e leve ao micro-ondas para fazer um crisp. Vá colocando de 40 em 40 segundos e trocando as folhas de papel quando necessário, até que ele fique bem crocante. Deixe esfriar e quebre em pedaços bem pequenos. Reserve;
- Mantenha o caldo de legumes aquecido enquanto prepara o risoto;
- Em uma panela coloque 1 colher chá de manteiga e refogue a cebola até ficar transparente;
- Adicione o arroz e deixe refogar um pouco;
- Some o vinho branco e mexa até que evapore quase por completo;
- Coloque um pouco de sal e vá adicionando o caldo de legumes, concha a concha, até que o arroz esteja no ponto desejado. Mexa de vez em quando para não grudar e soltar o amido do arroz;
- Enquanto o arroz está cozinhando, em uma panela, coloque uma colher chá de manteiga para derreter e some as folhas de sálvia para dar uma refogada (cuidado que costuma espirrar um pouco). Uns 3 minutos bastam. Reserve;
- Quando o ponto do arroz estiver pronto, desligue o fogo e adicione a mistura de manteiga e sálvia e mexa bem. Por último coloque o suco de limão, misture e está ponto;
- Ao empratar disponha o risoto, o crisp de bacon e finalize com um fiozinho de azeite e se gostar, mais algumas gotas de limão.

Rendimento: serve duas pessoas
Tempo de preparo: 40 minutos
Grau de dificuldade: Fácil

Você pode fazer o risoto na panela de pressão, como já ensinei neste post aqui, mas essa marca de arroz não me permite utilizar essa técnica, então, optei pelo bom e velho mexer de panelas. O resultado pode surpreender muito em um jantar especial, acredite!

Espero que tenham gostado.
Beijos,
Fla.

domingo, 21 de agosto de 2022

Bolo de rolo


Pois é, me meti numa aventura sem tamanho, me joguei no desconhecido, superei meus próprios medos e resolvi fazer bolo de rolo pela primeira vez! E gente, que delícia de receita, em todos os sentidos! Juro para você, que é bem mais simples do parece. Trabalhosa? Com certeza! Impossível? De forma alguma! Para quem assim como eu, morre de saudade de comer um bom bolo de rolo e mora longe da região Nordeste, preparar essa receita pode ser um jeitinho de matar a saudade desse sabor incrível.

Quando resolvi preparar meu bolinho, assisti muitos, mas muitos vídeos no Youtube e de todas as receitas que eu encontrei, a mais simples me pareceu a da chef Raiza Costa. Ela ensinava tudo bem explicado e de forma descomplicada, então resolvi me arriscar na receita dela e deu super certo! Vale a pena tirar uma tarde, ouvir uma boa música e preparar esta delícia Pernambucana!

Bora para receita?

Para ver a receita em vídeo, clique aqui.

Ingredientes:

- 200g de manteiga sem sal e em temperatura ambiente
- 200g de açúcar cristal
- 6 ovos (separados clara e gema)
- 250g de farinha de trigo peneirada
- 50g de açúcar cristal para polvilhar o bolo
- 20g de manteiga sem sal e derretida para untar a forma 
- 400g de goiabada em tablete (não pode ser a cascão)
- 240 ml de água

Preparo:

- Deixe o forno preaquecido a 180 graus; 
- Unte uma forma baixa com a manteiga, coloque um pedaço de papel manteiga e pincele mais uma camada de manteiga sobre o papel. Se você tiver um tapete de silicone, também pode utilizar. Eu fiz com o tapete e deu super certo, mas é importante untá-lo também. E ao invés de colocá-lo dentro de uma forma, eu usei a forma ao contrário no forno, e apoiei o tapete de silicone no fundo dela, pois todas as minhas formas eram muito fundas;
- Em uma panela coloque a goiabada cortada em cubos e a água e leve ao fogo baixo, mexendo de vez em quando, até que toda a goiabada esteja derretida. Reserve;
- Na batedeira bata o açúcar e a manteiga até virar um creme esbranquiçado, diminua a velocidade da batedeira e coloque as gemas, uma a uma, até que o creme fique com uma cor clara e duplique o volume. Transfira o creme para outra tigela e reserve;
- Bata as claras em neve na batedeira (se for utilizar o mesmo recipiente, é importante lavar bem e secar antes de bater as claras em neve!!!) em velocidade média até atingir picos moles. Reserve;
- Na tigela onde está o creme de gemas, manteiga e açúcar, vá adicionando as claras em neve e a farinha aos poucos, mexendo com um batedor ou colher de pau, intercalando sempre e incorporando de forma suave, para que a massa não perca o ar;
- Quando tudo estiver bem incorporado, pegue uma xícara de massa, distribua na sua assadeira untada, espalhe bem para que fique uma camada fina e o mais uniforme possível e leve para assar por 4 a 6 minutos. O tempo pode variar de forno para forno, fique atento. A massa não pode dourar;
- Assim que estiver assada, desenforme a massa em cima de um pano de prato levemente umedecido e polvilho com açúcar cristal, passe imediatamente uma camada fina da goiabada derretida e enrole procurando deixar o mais apertadinho que conseguir. Cubra com o pano e reserve;
- Unte novamente a forma e repita o processo por mais 4 a 5 vezes. É importante que você coloque a emenda do bolo anterior, bem no início onde começará a enrolar a próxima massa, pois o acabamento fica melhor. O meu bolo foi de 4 camadas;
- Quando terminar, corte as pontas, que certamente estarão tortas e isto é super normal, e polvilhoe açúcar por cima. Corte fatias finas para servir e seja muito feliz!

Rendimento: serve 6 pessoas
Tempo de preparo: 2 horas
Grau de dificuldade: Médio

Ficou uma lindeza, não ficou? Fiquei tão orgulhosa do resultado. E se eu consegui, você certamente também conseguirá! É tão bom a gente ter vontade de comer alguma coisa e conseguir preparar, não é mesmo? E nessas horas, não importa o tempo que leva, o mais gostoso é saborear!

Espero que tenham gostado!
Beijos,
Fla.

domingo, 14 de agosto de 2022

Focaccia Bolhuda


Essa focaccia é do Guilherme do Instagram Pão na Panela, que fala muito de fermentação natural, mas também traz possibilidades de panificação com fermentação biológica comum e fermentação longa também utilizando o fermento biológico comum. E qual a razão de fazer este tipo de fermentação? Ele melhora, e muito, a digestão da massa e oferece um pão muito mais leve. Agora, não vou mentir, dá trabalho, mas vale super a pena.

Eu amo pães de fermentação natural e já me aventurei muito nesse departamento, mas não tenho paciência para o tanto que demora. Me falta tempo mesmo. Meu fermento está desidratado e guardado para caso um dia eu resolva usá-lo. Por enquanto, faço meus pães de forma simples, com muita qualidade e vez ou outra, me arrisco também na fermentação longa.

Se você quiser acompanhar o passo a passo dessa receita em vídeo, por enquanto ainda está disponibilizado neste link, lá no Instagram do Pão na Panela. Mas a internet é um ciclo que corre rápido e não sei até quando vai estar, por isso, eu vou deixar tudo escrito e bem detalhado aqui.

Ingredientes:

Pré fermento:

- 2g de fermento biológico seco
- 60g ou 60ml de água
- 100g de farinha de trigo branca

Massa:

- 500g de farinha de trigo branca
- 370g ou 370ml de água
- 20g de azeite
- 150g do pré fermento
- 12g de sal
- Para cobertura utilize: alecrim, sal grosso, tomate cereja ou o que preferir

Preparo:

Pré fermento:

- Caso você não tenha uma balança de precisão e sua balança comece a pesar a partir de 5 gramas, pese as 5 gramas de fermento, e tente dividir essa porção em 5 partes iguais. Separe duas para utilizar e você terá as 2 gramas;
- Em uma tigela, misture o fermento, com a água e a farinha. Misture bem e não estranhe, pois a massa ficará bem firme;
- Transfira esse pré fermento para uma vasilha transparente ou vidro e faça uma marca por fora, para sinalizar onde está seu fermento. Eu utilizo essas vasilhas plásticas transparentes para congelamento de 500 ml;
- Deixe seu fermento tampado em algum lugar longe da luz sol, por aproximadamente 2 a 3 horas ou até seu fermento triplicar de tamanho. Dependendo da região, pode demorar um pouco mais. Quando ele atingir esse ponto, estará pronto para ser usado.

Massa:

- Em uma tigela grande, dilua o pré fermento na água. Ele não irá se dissolver totalmente, mas precisa estar mais líquido;
- Adicione o azeite e misture bem;
- Em seguida adicione o sal e misture;
- Some toda a farinha e mexa bem com uma colher grande, é super importante que a farinha seja toda absorvida e fique hidrata e não fique pontos secos na massa;
- Não é preciso sovar. Caso seja necessário, molhe as mãos e misture a massa, para garantir que a farinha esteja hidratada. A massa não ficará uniforme nesta etapa e é assim mesmo;
- Cubra a vasilha e leve a geladeira por 2 horas;
- Passado esse tempo, iremos começar a etapa das dobras. É importante umedecer a mão para que a massa grude menos nas mãos e não estranhe, a massa ficará mais mole que o normal;
- Ainda com a massa na vasilha, com a mão molhada, puxe a massa da lateral da vasilha para o centro, fazendo uma dobra. Gire um pouco a vasilha e repita o processo até que toda a massa fique "dobrada";
- Cubra a vasilha e deixe descansar mais meia hora na geladeira;
- Repita esse processo por mais 3 vezes, a cada 30 minutos;
- Ao total serão 4 dobras em um processo de 2 horas;
- Após esse processo das dobras, sua massa estará mais estruturada mas ainda mole, o que é normal. Transfira para a massa com delicadeza para uma assadeira bem untada com azeite. Coloque a forma dentro de um saco plástico limpo e grande, amarre com cuidado para que ele não enconstre na massa e deixe na geladeira fermentando por 24 horas;
- Passada as 24 horas, retire a assadeira do saco. Sua massa deve ter atingido a borda da assadeira mas caso ainda não esteja nesse ponto de fermentação, deixe por mais 1 hora em temperatura ambiente para que ela termine a fermentação;
- Agora é hora de formar as bolhas dessa focaccia. Com as mãos molhadas, aperte levemente sua massa na assadeira, para que o ar que está dentro dela, seja espalhado pela massa. Lembre-se sempre de molhar as mãos para que a massa não grude;
- Ao final, sua focaccia deverá estar cheia de bolhas lindas!
- Preaqueça seu forno a 250 graus por meia hora. Deixe sua massa em temperatura ambiente enquanto isto;
- Cubra sua focaccia com a cobertura que desejar;
- Por último, regue com azeite de qualidade e leve para assar por aproximadamente 40 minutos. A temperatura varia de forno para forno, portanto fique de olho. Mas é importante que ela fique bem dourada; 
- Retire do forno e espere amornar. Esse tempo é importante para que a massa termine sua cocção e libere os gases. Depois, é só se delicisar!

Rendimento: Serve bem 6 a 8 pessoas se acompanhada de outros itens
Tempo de preparo: aproximadamente 36 horas
Grau de dificuldade: Médio

A dica de ouro para preparar uma receita destas é planejamento. Precisa do pão assado no sábado a noite? Comece a prepará-lo na sexta logo após o almoço ou pela manhã. Não conseguiu deixar as 24 horas fermentando na geladeira? Sem problema, retire a massa umas 2 ou 3 horas antes de servir da geladeira, deixe fermentar por 1 a 2 horas em temperatura ambiente, volte a massa para a geladeira por mais 30 minutos e depois aperte com os dedos para formar as bolhas e leve para assar. Vai dar certo, confia! 

A receita não rende uma focaccia muito grande, eu uso uma forma de 26,5 x 18 x 5 cm e fica ótimo. E por favor, use um azeite de ótima qualidade, pois o resultado vai ser infinitamente melhor, vai por mim. Ah e ela desenforma lindamente mas como nesse dia eu tinha visita em casa, achei melhor garantir a foto ainda na assadeira e ainda bem que eu o fiz, pois nem deu tempo de tirar outra foto!

É isso, espero que tenham gostado! 
Um beijão,
Fla.

quarta-feira, 3 de agosto de 2022

Bolo de farofa


Olá, tudo bem com você? Já ouviu falar do bolo de farofa? Não sei ao certo a origem da receita mas pela minha pesquisa é uma receita muito conhecida no Sul do país e fico pensando o motivo de ter demorado tanto para chegar ao Sudeste ou Centro-Oeste, pois eu nunca havia comido esse bolo até uns 3 anos atrás.

Quem me apresentou essa delícia foi minha irmã, que conheceu através do canal Receitas e Temperos e depois que comemos na casa dela, virou o bolo mais queridinho aqui de casa e todo final de ano, tem que ter, e todo aniversário do meu marido, tem que ter.

É uma receita relativamente simples, com apenas duas etapas e não, não é um bolo comum, é uma massa feita com uma farofa de manteiga, açúcar e farinha, que servirá como base e cobertura. E o recheio? Um creme branco delicioso que por si só, já seria uma bela sobremesa!

Receita original, clique aqui.

Ingredientes:

Creme branco:

- 1 lata de leite condensado (395g)
- 1 caixinha de creme de leite (200g)
- 2 xícaras chá de leite
- 2 gemas
- 2 colheres sopa de amido de milho

Farofa:

- 1 xícara chá de açúcar
- 80g de manteiga gelada (eu uso com sal, pois gosto do sabor, mas você pode usar sem sal)
- 1 ovo
- 1 e 1/3 de xícara chá de farinha de trigo
- 1 colher sopa de fermento químico em pó

Preparo:

Creme branco:

- Em uma panela misture o leite, o leite condensado e o creme de leite;
- Em uma tigela coloque as gemas e junte o amido de milho, misture bem até dissolver todo o amido e junte essa mistura na panela;
- Mexa bem e leve ao fogo médio até que o creme fique espesso. É importante mexer sempre para não empelotar;
- Deixe esfriar um pouco enquanto você prepara a farofa.

Farofa:

- Em uma tigela coloque a farinha, o açúcar, o fermento, a manteiga gelada e o ovo;
- Misture bem a ponta dos dedos até formar uma farofa grossa e úmida. É importante que a farofa fique com pedacinhos de manteiga, que ajudarão a deixar a massa crocante. Reserve.

Montagem:

- Em uma travessa quadrada ou retangular (a minha tem 22 x 16 cm), coloque metade da farofa e aperte com as costas de uma colher. Despeje todo o creme por cima. Por último, coloque a outra metade da farofa por cima do creme branco;
- Leve ao forno 180 graus, preaquecido, por aproximadamente 30 minutos ou até que fique dourado por cima;
- Retire do forno, deixe esfriar em temperatura ambiente, depois cubra com plástico filme e leve a geladeira por no mínimo 4 horas.

Rendimento: Serve 6 pessoas
Tempo de preparo: 50 minutos
Grau de dificuldade: Fácil


Sério, é uma das sobremesas mais gostosas que eu já fiz. Fica doce? Fica! Já aviso. Mas é muito bom! Faça e depois volte aqui para me contar. Ah, e fica aqui meu pedido de desculpas mas a única foto que consegui salvar do bolo partido, foi uma que tirei em frente a televisão, risos.

Espero que tenham gostado.
Beijos,
Fla.

quarta-feira, 6 de julho de 2022

Fish and chips


Tem nome em inglês mas pode chamar de peixe frito com batata frita que está tudo certo. Mas é claro que o nome se dá pelo fato deste prato ser muito consumido lá na terra de Betinha, a rainha da Inglaterra.

Não tive a oportunidade de ir para lá ainda, mas já comi em alguns restaurantes americanos e confesso que eu amo essa mistura de casquinha crocante com o peixe extretamamente macio e molhadinho por dentro. A massinha original, feita com cerveja, pode ser trocada por água com gás, caso você não possa ou não queira fazer com bebida alcóolica. Eu já fiz e fica tão gostoso quanto, vai por mim.

A batata você pode fazer essa versão (clique aqui) que é feita na panela de pressão e fica super delícia, ou se não quiser fazer mais sujeira e mais fritura, pois no preço que anda o óleo está complicado, faça que nem eu e mande ver numa batatinha na airfryer, que por sinal, o segredo para ela ficar boa, é jogar azeite e colocar a bichinha com a temperatura torando de quente.

Receita pá pum, bem rápida e deliciosa. O correto é usar filé de bacalhau fresco, mas gente, quem tem grana pra comprar esse peixe que é quase o preço de um tanque de combustível? Risos... Faz com tilápia mesmo, escolhe os filés mais gordinhos e seja feliz!

Ingredientes:

- 800g de filé de peixe (usei tilápia)
- 2 e 1/2 xícaras chá de farinha de trigo
- 350 ml de cerveja pilsen (ou a mesma medida de água com gás)
- 1 colher chá de sal
- 1 colher chá de fermento químico em pó
- suco de 1 limão
- sal e pimenta do reino a gosto
- óleo para fritar

Preparo:

- Corte os filés de peixe no sentido do comprimento e tempere com o suco de limão, sal e pimenta do reino a gosto. Reserve;
- Em uma tigela misture 1 e 1/2 xícara chá de farinha de trigo com a cerveja e mexa bem até ficar uma massa homogênea e não muito líquida (quase uma textura de panqueca mais grossinha). Tempere com o sal, adicione o fermento e mexa rapidamente;
- Em um prato coloque 1 xícara de farinha de trigo e reserve;
- Pegue o filé de peixe, passe rapidamente pela farinha de trigo no prato, para criar uma camada fina e depois passe pela mistura de cerveja. Leve para fritar em óleo temperatura média até dourar;
- Importante deixar escorrer bem. Sirva ainda quentinho acompanhando claro, sua batata frita ou chips.

Rendimento: serve até 3 pessoas
Tempo de preparo: 50 minutos
Grau de dificuldade: Fácil

Eu não sei vocês, mas aqui a gente sempre faz um #sextou em casa e fazemos uns petiscos. Esse é um dos que mais gostamos mas não rola sempre por motivos de muita fritura. Não que a gente tenha uma alimentação regrada, mas toda semana não dá, risos.

Ah e para acompanhar eu fiz um molhinho mega rápido de maionese, mostarda e alho em pó que eu amo! Faço tudo meio a olho e gosto de usar mostarda dijon que fica ainda mais gostoso.

Espero que vocês tenham gostado!
Beijos,
Fla.

quinta-feira, 30 de junho de 2022

Virado à paulista vegetariano


Olha quem voltou! Pois é, a vida mudou um bocado por aqui, principalmente com a chegada do meu filho. Meu loirinho chegou aos 7 anos, e como toda chegada através da adoção, os desafios foram, e ainda são, enormes. Virei mãe 24 horas por dia de uma forma tão intensa, quanto quem dá a luz a um recém nascido. E tudo isso, em meio a uma pandemia, o que tornou esse contato muito mais intenso, em diversos sentidos.

Passado mais de um ano da nossa adoção, posso dizer que sobrevivemos ao primeiro ano e que agora estamos bem. Os desafios continuam, mas meu filho tem se desenvolvido bem, está crescendo e me fazendo comprar roupas todos os meses, risos, está feliz e eu conseguindo voltar a vida quase normal de antes. Estamos felizes!

Eu agradeço a todos que fizeram contato comigo por e-mail, pois estranharam a minha ausência principalmente no Instagram, que temporariamente está desativado. Não sei se volto pra lá algum dia, por pura falta de tempo mesmo, mas escrever aqui no blog, talvez eu faça com alguma frequência E confesso que tirar foto de comida, na correria que são meus dias, é quase impossível, mas eu vou tentar.

Nesse período também fiz uma investida em tentar me tornar vegetariana. Falhei miseravelmente. Não por sentir falta de comer carne, mas porque é muito difícil ter que cozinhar várias coisas diferentes. Nesse momento maluco da vida, já fiquei feliz em conseguir fazer isto por 3 meses. E confesso, minha pele melhorou, meu humor melhorou, meu refluxo foi embora, ou seja, só tive ganhos. Pretendo tentar novamente? Sim! Ainda este ano, só não sei como...rs.

A ideia desse prato super simples, é adaptar uma refeição que geralmente possui carne e montar uma opção vegetariana. Abri mão do bacon do tutu de feijão, para colocar muito alho fritinho, retirei a linguiça e o torresmo, mas compensei com mais banana frita que eu amo! O preparo todo do prato é muito simples e toda a família comeu sem sentir falta alguma da carne. Ponto pra mim.

Ingredientes:

Tutu de feijão:

- 2 xícaras chá de feijão cozido com um pouco do caldo
- 4 dentes de alho bem picadinhos
- 1/2 de cebola grande fatiada (eu deixei em rodelas)
- 1 colher chá de orégano seco
- 1/2 colher de chá de páprica defumada
- 1/3 xícara chá de água
- 1/4 xícara chá de farinha de mandioca torrada aproximadamente
- sal a gosto
- 2 colheres sopa de cheiro verde
- 1 colher de azeite

Banana à milanesa

- 6 bananas (eu prefiro a prata, mas pode utilizar a nanica)
- 2 ovos
- farinha de trigo quanto baste
- farinha de rosca quanto baste
- óleo para fritar

Couve refogada

- 2 maços de couve fatiados
- 1 colher sopa de azeite
- 2 dentes de alho espremidos
- sal à gosto

Outros

- 6 ovos fritos

Preparo:

Tutu de feijão

- Em uma panela aqueça o azeite e refogue a cebola. Depois que ela estiver murcha, acrescente o alho e deixe refogar bem, até os dois ficarem douradinhos;
- Adicione o feijão, a água, o orégano e a páprica e deixe ferver bem;
- Acrescente a farinha aos poucos até o ponto desejado, se gostar de um tutu mais molinho, coloque menos farinha, se gostar dele mais grossinho, coloque mais, mas lembre-se que depois que ele esfriar, ele ainda irá engrossar mais;
- Deixe cozinhar um pouco e por último corrija o sal e adicione o cheiro verde.

Banana à milanesa

- Corte as bananas ao meio e reserve;
- Em um prato fundo bata os ovos e tempere com sal e pimenta do reino a gosto;
- Passe as bananas na farinha de trigo, em seguida nos ovos batidos e por último na farinha de rosca;
- Frite em óleo quente até que estejam douradinhas. O óleo precisa estar quente, para que a banana não cozinhe muito enquanto frita.

Couve refogada

- Em uma panela coloque o azeite e refogue o alho sem dourar muito;
- Adicione a couve aos poucos e vá mexendo em fogo alto;
- Quando toda a couve estiver na panela, desligue o fogo e coloque o sal. Isto vai evitar dela soltar muita água e irá continuar com uma textura mais crocante.

Rendimento: serve bem 3 pessoas
Tempo de preparo: 50 minutos
Grau de dificuldade: Fácil

Claro, para acompanhar, aquele ovo frito de gema mole, para quem é da gema mole, e de gema dura, para quem é de gema dura, como eu. Ah sim, e um arrozinho branco bem temperado. 

Dica importante, a páprica defumada é um ótimo coringa para dar aquele sabor de defumadinho na comida e engana bem quem, assim como eu, gosta de um bacon mas quer deixar de comer. Aqui em casa o consumo de carne diminuiu bastante e eu procuro variar bem as opções. Ainda que meu filho as vezes sinta falta da proteína e lance um: "não tem carne, mãe?', eu faço a egipcia e estimulo que ele se alimente de outras fontes de proteína.

É isso gente, a vida volta aos eixos aos poucos e sempre que você entrar aqui para curtir uma receita, não esquece de clicar em um banner por aí, que pode acreditar, me ajuda muito! 

Obrigada pelo carinho nestes mais de 13 anos do Arte na Cozinha!
Beijos,
Fla.