quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Bolo de fubá


Post reeditado em 24/04/2018.

Está chovendo, você fica morta de vontade de um doce e imagina aquele bolo quentinho saindo do forno, aí você pensa: "hum...um cafezinho também ia muito bem agora". Pronto. Combinação perfeita: bolo de fubá + café fresquinho.

E eu juro que essa receita é daquelas que nada pode dar errado. Mas confesso que quem realmente reina com essa receita aqui em casa é meu marido. Nem o bolo de fubá da minha mãe fica tão fofinho quanto o dele. E olha que até ela já admitiu isso...rs.


Ingredientes:


*xícara medidora de 240 ml


- 5 ovos
- 1 xícara chá de óleo
- 2 xícaras chá de açúcar
- 1 xícara chá de fubá
- 2 xícaras chá de farinha de trigo
- 1 col. sopa de fermento
- 1 e 1/2 xícara chá de leite quente (sem levantar fervura)
- erva-doce à gosto

Preparo:

- Bater os 3 primeiros ingredientes no liquidificador; 
- Coloque o fubá, a farinha e o fermento numa vasilha, acrescente a mistura batida no liquidificador, mexa bem;
- Por último colocar o leite quente, e aqui se você desejar, deixe a erva-doce ferver junto com o leite, o sabor ficará bem mais acentuado;
- Unte uma forma de furo no meio com manteiga e açúcar e despeje a massa;
- Asse em forno 180 graus por mais ou menos 40 minutos.

Calda:

- Derreta 150 gr. de goiabada com 1/4 xícara chá de água em fogo baixo, espere esfriar e despeje sobre o bolo desenformado.

Muito, muito, muito bom.

;)
Beijos,
Fla

Foto do post original em 25/02/1009



sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

Cheesecake by Nigella

Essa receita eu peguei aqui no Rainhas.

Eu não sou fã número 1 de chessecake ou qualquer coisa semelhante, mas o sabor é bom, além de ser prático de fazer.

O único problema ao meu ver, é que não é uma receita barata, mas uma vez ou outra vale a pena. Não sei na terra de vocês, mas aqui em Sorocity cream cheese e creme de leite fresco estão pela hora da morte.


Segue a receita.

Ingredientes:

- 1 pacote de bolacha maisena
- 2 col. sopa de margarina (temperatura ambiente)
- 300 gr. de cream cheese
- 1 col. sopa de açúcar
- 1 col. chá de essência de baunilha
- gotas de limão
- 250 gr. de creme de leite fresco
- 1 pote de geléia cereja, framboesa, ou qualquer outro sabor. (indico a Queensberry)

Preparo:

Etapa 1:

Triture a bolacha no liquidificador até virar um pó. Misture com a manteiga até obter uma massa homogênea. Coloque em uma forma de aro removível e acerte bem as bordas da forma para que ela fique retinha. No meu caso dá pra ver que não ficou tãoooo retinha.

Etapa 2:

Bata o cream cheese com o açúcar, a essência e as gotas de limão até ficar bem cremoso. Reserve.
Agora é a vez de fazer seu creme de leite fresco virar algo que pareça um chantilly, e neste momento muito cuidado, porque creme de leite fresco para virar manteiga é só piscar. Então, cuidado nessa hora.
Depois, envolva os dois cremes delicadamente.

Etapa 3:

Despeje o creme sobre a massa e deixe na geladeia por no mínimo 5 horas. Depois desenforme com muito cuidado e espalhe a geléia gelada sobre o creme.

E no mais é comer e se deliciar.

Ótima pedida para os dias de folia.
Beijos,
Fla

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Bife de panela



Post reeditado em 20/03/2019.

Minha mãe tem na casa dela uma forma de colocar em cima do fogão que se chama "forma fulgor", que nada mais é do que uma forma redonda, com tampa e uns furinhos em cima para sair o vapor. Bem parecida com essa aqui da foto.


A forma serve para muitas coisas, mas em casa acho que só vi duas receitas saírem dela (pelo menos que eu me lembre): batata gratinada e o bife feito com pimentões, tomates e cebolas que é muito, mas muito bom.

Eis que um dia eu tinha na geladeira, bifes já temperados, cebola, meio pimentão verde, meio pimentão vermelho, cebola e tive a ideia de fazer a receita em panela normal mesmo, e chamar o famoso bife a fulgor da minha mãe, de bife de panela.


Você pode fazer em uma caçarola ou em uma panela elétrica. Das duas formas dá super certinho. O importante é escolher carne macia, como alcatra, coxão mole ou contra filé, assim você garante que o tempo de cozimento será suficiente para deixar a carne molinha sem precisar de muito tempo no fogo.

Ingredientes:

- 8 bifes (usei alcatra)
- tempero caseiro ou sal a gosto
- 1 colher chá de chimichurri ou orégano
- 2 colheres sopa de vinagre
- 2 tomates sem semente fatiados (em rodelas ou pétalas)
- 1 cebola grande fatiada
- 1 pimentão (você pode usar de qualquer cor ou mesclar as cores) em tiras grossas
- cheiro-verde a gosto
- sal e pimenta do reino a gosto

- água se necessário

Preparo:


- Tempere os bifes com tempero caseiro ou sal, o chimichurri ou orégano e o vinagre. Reserve;
- Em uma panela coloque um fio de azeite;
- Se a sua panela for pequena, organize em camadas: um pouco de bife, uma parte dos pimentões, uma parte das cebolas e uma parte dos tomates, tempere com um pouco de sal e pimenta do reino e comece uma nova camada;
- Tampe a panela e deixe em fogo baixo por aproximadamente 30 minutos. Se necessário, adicione água aos poucos para que não queime nada no fundo da panela;
- Assim que a carne estiver macia, desligue o fogo e finalize com bastante cheiro-verde. 

Rendimento: serve até 3 pessoas
Tempo de preparo: 45 minutos
Grau de dificuldade: Fácil

Esse é um ótimo prato para quem está começando a cozinhar e tem medo de se aventurar a fazer algo diferente com um bife por conta de perder o ponto da carne, por exemplo. Aqui, queremos uma carne bem macia e ponto. É só ir adicionando água e deixar que o fogo faça seu papel, e não vai ficar seco, porque os legumes vão dar a suculência perfeita para seu prato! 

Espero que tenham gostado desta sugestão!
Beijos,
Fla
Foto do post original em 16/02/2009.

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Pavê de Calabresa


Post reeditado em 03/10/2018.

Tenho algumas amigas recém-casadas (xi, com ou sem hífen?), outras nem tanto assim, que sempre passam um cortado na cozinha porque, fazer o trivial, a comidinha nossa de cada dia, realmente não é tarefa fácil.

E como nem só de "delivery's" vive o homem, pensar em algo que não seja o arroz, feijão, bife e salada é muitas vezes complicado, apesar de ser um cardápio ao meu ver, glorioso.

Por isso eu sempre estou em busca de receitas que sejam rápidas e claro, saborosas. Esta receita é um bom exemplo. Com grau de dificuldade zero e deliciosa. Mas, como nem tudo são flores, a bendita é um tanto quanto...calórica. Mas ninguém precisa fazer toda semana certo?!

A receita peguei do caderno da minha mãe, que por sua vez deve ter visto em algum outro lugar, portanto há um ser humano que é "dono" da receita, vamos esclarecer para evitar possíveis traumas...rs.

Ingredientes:

- 1 litro de leite
- 5 col. sopa de amido de milho
- 1 col. sopa de margarina
- 150 gr. de queijo parmesão ralado
- 1 lata de creme de leite com soro
- 2 tomates s/ pele e s/ semente picados
- 3 calabresas s/ pele cortada em rodelas
- 1 cebola grande picada
- 1 xícara de azeitonas verdes picadas
- 200 gr. de mussarela ralada (eu utilizei queijo do reino, por isso o amarelinho em cima)
- salsinha picada
- pimenta


Preparo:

- Coloque em uma panela o leite, o amido de milho, a margarina e o queijo;
- Misture bem até dissolver o amido. Leve ao fogo brando até engrossar;
- Em seguida retire do fogo e adicione o creme de leite. Reserve;
- Em uma vasilha misture os tomates, a calabresa, a cebola, as azeitonas e a pimenta (nesse caso eu usei pimenta calabresa). Misture bem os ingredientes e reserve; 
- Em um refratário coloque o creme e por cima a mistura de calabresa;
- Leve ao forno médio até a calabresa ficar bem douradinha, uns 20 a 25 minutos. Em seguida retire do forno, coloque a mussarela ralada e devolva para o forno para gratinar;
Depois de gratinado, retire do forno e salpique salsinha. Sirva quentinho com um arroz feitinho na hora. 

Rendimento: serve até 6 pessoas
Tempo de preparo: 1 hora
Grau de dificuldade: Fácil

Olha, não é uma comida leve, por isso recomendo para um almoço. Eu fiz meia receita, mas ela na íntegra serve tranquilo 6 pessoas.


Divirtam-se.

Beijos,
Fla

Foto do post original em 11/02/2009

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Patê de Vitamina


Sabe aquele patê com cara de saúde que toda criança odeia? Pois bem, esse não vai ter pimpolho nenhum fazendo cara feia pra comer! Além de super saudável, ele é simplesmente delicioso e super rápido de fazer.



Ingredientes:

- 2 cenouras grandes
- 4 tomates sem semente picados
- 1 cebola grande picada
- 1 pimentão verde picado
- 2 col. sopa de azeite
- 3 col. sopa de cheiro-verde picado
- 3 col. sopa de azeitonas verdes picadas
- sal e pimenta a gosto

Preparo:

- Bata as cenouras, os tomates, a cebola e o pimentão no liquidificador. Se necessário auxilie com um pouquinho de água para bater;
- Em uma panela coloque o azeite e despeje a mistura do liquidificador;
- Coloque o sal, a pimenta e deixe apurar até que ele seque todo o líquido, aproximadamente uns 20 a 25 minutos;
- Dica: tampe porque espirra que é uma beleza!!!
- Depois de bem apurado desligue o fogo, acrescente o cheiro-verde e as azeitonas, mexa bem;
- Se necessário acerte o sal;
- Deixe esfriar e coloque na geladeira. Sirva com pão de forma ou torradas.

Rendimento: Serve 12 porções aproximadamente;
Tempo de preparo: 40 minutos
Grau de dificuldade: Moleza

Espero que vocês gostem.
Um beijo,
Fla

sábado, 7 de fevereiro de 2009

Uma breve história...

Mal me lembro da primeira. Muitas vezes as lembranças se confudem com imagens de fotografias ou histórias sobre ela que me foram contadas. Sinto muito por não ter tido a oportunidade de passar mais tempo com ela e até mesmo de conhecê-la melhor.
Mas sempre soube que tudo o que por ela era preparado na cozinha, mesmo em épocas difíceis (e ao que me consta não foram poucas), sempre fora feito com amor e este talvez fosse o principal ingrediente de suas delícias.
Dela, herdei o gênio forte (risos) e provavelmente o gosto pelos sabores mais simples.
O nome dela é Maria Isabel Muraro, mas ai de quem a chamasse assim, para todos ela era a Dona Nena, minha avó paterna, mãe de 5 filhos, avó de 8 netos que com certeza são muito saudosos de seus abraços e carinhos.


Photobucket


Da outra me lembro bem... o cheirinho do laquê que eu adorava passar do mesmo modo que ela fazia, o batom que ela usava de capinha verde que ficava no alto do armário onde eu nunca alcancei, seu abraço gostoso e sempre apertado.
Lembro também dela de avental, encostada no fogão vermelho que ficava do lado de fora da cozinha onde panelas borbulhavam deixando um aroma pela casa que se eu fechar bem os olhos ainda posso sentir.
Foi com ela que fiz arroz pela primeira vez. Talvez naquele dia o arroz tenha ficado horrível, mas tenho certeza de que a nota provavelmente foi 10...rs.
Ainda posso me lembrar com muita, mas muita saudade, de todas as vezes em que fiquei ao seu lado, sentada na escada que dava pro quintal, ao lado do fogão, vendo, ouvindo e principalmente aprendendo.
Dela herdei o gênio forte (risos) e a vontade de sempre reunir todos à mesa e fazer destes momentos sempre os mais especiais.
O nome dela é Elsa Navarro, minha avó materna. Mãe de 4 filhos, avó de 7 netos. Ela é o meu maior exemplo de amor. Foi casada por 52 anos com meu avô e até o final de sua vida, ele foi a única pessoa de quem, apesar da doença, ela jamais se esqueceu.


Photobucket


A terceira...ah essa terceira...hoje, dia 08 de fevereiro é aniversário dela, e eu só tenho que agradecer a Deus por permitir que eu faça parte da vida desta mulher guerreira, batalhadora, amiga, uma mãe maravilhosa e uma avó muito da coruja.
Graças a Deus, tenho o prazer de chegar na casa dela a hora que eu quiser, e ela sempre irá dizer assim: "Não quer ficar para comer alguma coisa?", e ficar diga-se de passagem não é, nem nunca será nenhum sacríficio.
Lembro de acordar com cheiro de café fresco pela manhã, das horas a fio conversando na mesa após as refeições e de sempre ouví-la dizendo que não gosta muito de cozinhar e fico imaginando como seria se ela gostasse...
É com ela, ou melhor, é para o colo dela que quero fugir cada vez que tenho um problema, é a comida dela que me faz sentir "em casa", é o cheirino dela que me faz esquecer de qualquer problema e me faz sentir protegida.
No caso dela, muito mais do que herdar alguma coisa, posso dizer que aprendi: a ser uma pessoa melhor, a não desistir nunca dos meus sonhos, de brigar pelas coisas que acredito, a valorizar minha família e de querer estar sempre junto daqueles que amo.
Ahhhh, e ela é quem me fornece o tempero que não adianta, na minha panela nunca terá o mesmo perfume que tem na panela dela. Sem contar que posso viver 200 anos e tenho certeza de que nunca vou comer um bolo de cenoura tão fofinho, um strogonoff tão gostoso e um feijão que só de lembrar me dá água na boca.
O nome dela é Sidnéa Navarro. Minha mãe... a melhor mãe do mundo... e se eu conseguir ser para meus filhos 1/3 do que ela é pra mim, acho que vou conseguir cumprir meu papel de "ser mãe" muito bem. Meu amor por ela é incondicional... e será eterno!
Parabéns mãe! Que Deus continue te dando saúde, sabedoria e felicidade.

Photobucket


Estas são 3 mulheres muito, mas muuuito importantes na minha vida. São modelos de mulheres fortes, que sempre lutaram para ter o melhor para nossa família.
Foi com elas que aprendi a fazer "Arte na Cozinha" e é em homenagem a elas que dedico este humilde livro de receitas virtual, onde vocês com certeza encontrarão diversas receitas daqueles livrinhos antigos e escritos a mão que guardam segredos e receitas maravilhosas.

Meu eterno e grato amor à vocês.
Beijos,
Fla.