quinta-feira, 19 de março de 2009

Patê de Hortelã

Este patê fez tanto sucesso no meu aniversário que já perdi a conta de quantas vezes eu dei a receita dele, e olha que nem foram tantas pessoas assim em casa naquele dia. Mas a verdade é que fica realmente uma delícia, além de ser muito refrescante.
A receita original aqui. Mas fiz algumas modificações.


Ingredientes:

- 500 grs de ricota
- 1 maço de hortelã
- 1 pote de iogurte desnatado
- 1/2 maço de salsinha
- 1 dente de alho
- 1/2 cebola
- 3 col. sopa de azeite
- pimenta calabresa e sal a gosto

Preparo:

- Se você tiver um processador, basta colocar todos os ingredientes lá dentro e pumba, tá pronto. Se você tiver um mini processador, assim como eu, processe primeiro uma parte da ricota com um pouco de hortelã e depois a outra parte com o restante. Coloque em uma tigela e reserve.
- Processe então o iogurte, a cebola, o alho, a salsa e o azeite. Misture com a ricota reservada mexendo muito bem. Por último prove o sal e corrija se necessário.
- Se você só tiver um liquidificador, amasse a ricota com um garfo, bata os demais ingredientes no liquidificador e junte a ricota. Misture muito bem e pronto. Simples também né? A única diferença é que o patê ficará com alguns gruminhos, que também tem lá seu charme.


Parar servir eu tostei no forno fatias de pao sírio. Hortelã, pão sírio... hum... já lembrei de kibe, homus, mas isso é assunto pra outro post...rs.


Beijos,
Fla.

terça-feira, 17 de março de 2009

Carne ao molho de vinho

Não é sempre que a gente inventa alguma coisa na cozinha e dá certo não é mesmo? Eu já testei algumas coisas que eu não daria nem para o cachorro comer, até porque eu não tenho cachorro...hehe.

Massssssss, tem dias que parece que tudo conspira a favor e você joga um ingrediente daqui, outro ali, põe um condimento aqui, joga uma pimenta acolá e tcharã... o resultado fica melhor que o esperado. Foi assim que eu inventei essa carne com um molho de vinho que ficou bem gostosa.

Então, vamos lá.


Ingredientes:

- 1 kg de coxão duro em pedaços grandes
- 2 col. vinagre
- 2 col. sopa de azeite
- 200 ml de vinho tinto seco
- 1 cebola cortada em pétalas grossas
- 1 vidro pequeno de champignon
- 2 col. sopa de shoyo
- 1 col. café de cominho em pó
- 2 pimentas biquinho ou 1/2 pimenta dedo de moça
- cheiro-verde a gosto
- sal a gosto

Preparo:

- Tempere a carne cortada em pedaços com o vinagre, sal e 50 ml de vinho. Deixe marinando por 30 minutos.
- Em uma panela de pressão, coloque as 2 col. de azeite e deixe aquecer bem. Coloque a carne na panela e deixe em fogo alto para que ela fique bem corada. Isso espirra, então cuidado. Procure manter o fogo alto e virar a carne com um pegador, para que não aconteça de furar os pedaços. Não jogue fora o caldo que ficou marinando, vamos utilizá-lo em seguida.
- Com a carne corada, despeje o caldo da marinada e mais 50 ml de vinho. Tampe a pressão e deixe até que a carne fique firme porém macia. Uns 35 minutos acho que já é suficiente, isso vai de acordo com cada fogão.
- Depois de aberta a panela de pressão, deixe ferver o caldo que ficou na panela por uns 5 minutos. Aí, retire a carne e reserve.
- Na panela adicione a cebola, a pimenta biquinho, o shoyo, o cominho e o restante do vinho. Deixe ferver até que a cebola fique transparante. Coloque os cogumelos e deixe por alguns minutinhos.
- Retorne a carne na panela e misture bem. Coloque em um refratário e cubra com bastante cheiro-verde.

Fácil hein?! Servi com um arroz branco e uma salada. Como diria o bonitinho do meu vô: "Não precisa nem de mistura". Rs..rs..rs..

Ah, como informação eu usei o vinho Miolo Seleção Tinto Seco, que além de ser um dos meus favoritos, comprei no Extra por um precinho chuchu: R$ 13,90 a garrafa. Por aqui o preço geralmente é na faixa dos R$ 22,00, então valeu muito a pena. Eu havia tomado metade da garrafa e como por motivos de força maior estou impossibilitada de ingerir qualquer bebida alcóolica (oh Jesus!), resolvi aproveitá-lo de outra maneira. Sou espertinha...hehe.

Beijos,

Fla.

domingo, 15 de março de 2009

Cuscuz de assadeira



Post reeditado em 21/09/2020.

Esse cuscuz é famoso aqui em casa e é mais fácil de fazer do que parece. O melhor de tudo? Pode comer frio, quentinho, no almoço ou jantar e até mesmo no lanche da tarde. Quem nunca comeu cuscuz paulista com café, não sabe o que está perdendo.

Por aqui preferimos sempre a versão com linguiça ou legumes, mas você pode fazer de frango, sardinha, do que preferir. Mas faça, porque vale muito a pena e tenho certeza que vai agradar a todos na sua família.

Ingredientes: 

- 1 pacote de linguiça calabresa fininha (o pacote geralmente vem com 4 unidades)
- 1 cebola picadinha 
- 2 tomates sem semente picados
- 300g de molho de tomate
- 150 ml de água
- sal e pimenta calabresa a gosto
- 1 xícara chá de ervilha congelada ou 1 lata drenada
- 1 vidro de palmito picado (opcional)
- +/- 300 g de farinha de milho

Preparo:

- Corte a linguiça em rodelas bem fininhas;
- Em uma panela frite-as em um pouco de azeite até que fiquem bem coradinhas;
- Coloque a cebola para fritar, o seu tempero caseiro ou sal e em seguida adicione os tomates picados;
- Quando os tomates estiverem desmanchando adicione o molho de tomate e a água. Deixe ferver até que fique bem encorpado;
- Adicione as ervilhas e deixe ferver mais um pouco. Adicione a pimenta a gosto e por último o palmito. Mexa bem e deixe em fogo baixo;
- Coloque a farinha em uma tigela e jogue um pouco de água morna por cima dela, e vá esfarelando a farinha, isso evita que fiquem grumos no cuscuz ou pelotinhas de farinha. Não exagere na água, é só para conseguir quebrar os floquinhos de farinha;
- Agora vá adicionando a farinha no cuscuz, fazendo uma chuvinha e mexendo bem a cada porção de farinha adicionada até que fique com a consistência desejada;
- Lembrando que por se tratar de um cuscuz de assadeira, ele não será desenformado, então ele deverá ficar mais úmido que o outro cuscuz de desenformar;
- Continue mexendo por uns 5 minutos, em fogo baixo para não queimar, para cozinhar a farinha; É bom para exercitar o braço;
 - Unte um refratário com azeite de oliva e despeje o cuscuz. Por cima enfeite com o que quiser, tomates, o palmito reservado, pode colocar ovo cozido, azeitonas ou o que desejar.

Rendimento: serve até 6 pessoas
Grau de dificuldade: Fácil
Tempo de preparo: 45 minutos

É muito gostoso e rapidinho de fazer. 
Espero que tenham gostado.
Beijos,
Fla.

Foto do post original em 15/03/2009


segunda-feira, 9 de março de 2009

Salada morna de berinjela


Post reeditado em 23/09/2020.

Eu sou suspeita para falar deste prato porque berinjela é o legume que mais gosto. E outro motivo para gostar muito, é que aprendi essa receita com minha mãe. Mas falando sério acho que é a melhor salada de berinjela que eu já comi na vida. É uma coisa tão, mas tão boa, que só experimentando para você concordar comigo.

A ideia é você comer ainda morna, como uma salada mesmo ou como acompanhamento de algum outro prato, mas nada impede de você comer geladinha também. Você inclusive, pode fazer em uma quantidade maior e ir consumindo ao longo da semana porque ela se conserva tudo bem. 

Ingredientes: 

- 2 berinjelas pequenas 
- 1/2 xícara de muçarela ralada 
- 1 col. (chá) de orégano 
- 2 dentes de alho espremidos 
- 1 col. café de sal 
- 2 col. sopa de mel 
- 1 col. café de sal 
- 60 ml de vinho branco seco 
- 100 ml de vinagre balsâmico 

Preparo: 

Corte as berinjelas em rodelas grossas e coloque em uma assadeira untada com azeite;
- Faça uma pequena pressão com o polegar em cada rodela;
- Misture o alho e 1 col. de café de sal e passe sobre as berinjelas;
Polvilhe orégano e leve ao forno médico até que fiquem coradas;
- Coloque a muçarela e leve novamente ao forno para derreter;
Numa panela leve ao foto o mel, 1 col. de café de sal, o vinho e o vinagre, deixando ferver e reduzir pela metade;
- Despeje o molho sobre as berinjelas, retorne ao forno por alguns minutos e sirva.

Rendimento: serve até 4 pessoas
Tempo de preparo: 40 minutos
Grau de dificuldade: Fácil

Como eu disse você pode levar a geladeira e servir gelado também. Agora fala a verdade, tem como ficar ruim, né? 

Espero que tenham gostado!
Beijos, 
Fla.
Foto do post original de 23/09/2020


sábado, 7 de março de 2009

Pastel de Bertioga

A primeira vez que vi esta deliciosa iguaria (olha que chique?!), foi no extinto programa da Rede Record "Note e Anote", na época ainda apresentado pela Ana Maria Braga. O dono da pastelaria e toda sua parafernalha estavam no programa fazendo desde a massa até o recheio. Depois ainda vi o mesmo Donizete apresentando seus pastéis em outros programas de culinária.

Aquilo sim era um pastel de verdade, feito com palmito de churrascaria, grande, bonito... e não, imagina que eu e minha irmã não ficaríamos com vontade né?!
Da primeira vez que minha família foi até Bertioga para experimentar o dito cujo, eu infelizmente não puder ir porque na época eu morava em Piracicaba. Mas como minha família me ama, eles trouxeram a massa e o recheio, tudo devidamente armazenado em uma caixa de isopor e gelo. Matei a vontade, mas digamos que ainda faltava alguma coisa.

Aí descobrimos que havia uma "filial" da pastelaria em São Paulo. E pasmem, num belo dia fomos até lá só para comer pastel...hehehe. Pra quem tinha ido até Bertioga, São Paulo era um pulinho vá! Mas para mim ainda faltava o clima "praiano".

E então, no dia em que eu e marido decidimos viajar para o litoral norte de SP, e eu descobri que teríamos que passar por Bertioga, imagina que eu não iria parar, ou na ida ou na volta para comer um pastel. Um só né, porque diga-se de passagem tem que ser "macho" pra comer 2 pastéis deste!

E agora sim eu posso dizer que comi o verdadeiro Pastel do trevo de Bertioga!!! E quer saber, não há pastel de feira que se iguale a este aí...hum... só de falar dá vontade de novo.

Para quem quiser conhecer mais sobre a história da pastelaria e ir até lá, é só clicar aqui.

Vale a pena experimentar!!!

Bom final de semana!
Beijos,
Fla

quinta-feira, 5 de março de 2009

Torta salgada com massa de arroz


Post reeditado em 23/04/2018.

O que tem de diferente na torta? É que na verdade o tchãn desta torta é a massa feita com sobras de arroz.

Não sei na casa de vocês, mas aqui em casa a gente não joga arroz fora de modo algum. Vira bolinho, vira arroz crocante (receita muito gostosa que um dia publico aqui) e vira torta!
O mais gostoso desta massa é que ela fica com um creminho por causa do arroz e hum... é muito muito muito bom. E para o recheio é só usar a imaginação porque você pode utilizar milhões de combinações.


Ingredientes:

*xícara medidora de 240 ml

Massa:

- 2 xícaras chá de arroz cozido
- 2 xícaras chá de leite
- 3 ovos
- 1 col. sopa de fermento
- 2 xícaras chá de farinha de trigo
- 100 gramas de queijo parmesão ralado
- 1/2 xícara chá de óleo

Recheio:

- 1 cebola pequena picada
- 2 tomates sem semente picados
- 200 gr. de presunto em cubos
- 200 gr. de mussarela em cubos
- 50 gr. de azeitona picada

Preparo:

- Coloque no liquidificador os líquidos e bata até misturar;
- Em seguida coloque o arroz e deixe batendo até formar um creme;
- Depois adicione os demais ingredientes e por último coloque o queijo ralado e o fermento;
- Em uma assadeira untada e enfarinhada coloque metade da massa, coloque o recheio, e por cima o restante da massa;
- Coloque mais um pouco de queijo ralado por cima da massa (opcional);
- Leve para o forno médio por aproximadamente 40 minutos. Deixe o queijo ficar bem douradinho por cima.



Rendimento: 1 torta grande
Tempo de preparo: 70 minutos
Grau de dificuldade: Fácil

Essa massa também pode ser usada para fazer rocambole. A diferença é que você irá utilizar uma assadeira bem grande para que a camada da massa fique bem fina. Ainda morno desenforme a massa assada sobre um pano úmido e bem limpo, coloque o recheio que desejar e enrole com cuidado. Depois é só passar maionese por cima e colocar batata palha para decorar. 

Bom, ideias mil com esta massa que eu garanto é super saborosa.

Foto do post original em 05/03/2009

Espero que gostem.
Beijos,
Fla

segunda-feira, 2 de março de 2009

Rocambole de Carne

Este aqui também fez parte do menu de aniversário de mamãe. Foi na verdade confeccionado, ou elaborado, por minha irmã Fernanda, e eu posso garantir que a receita é muito boa e o resultado é, como diria Didi Mocó, tudodebom.com.br (hehe, piada sem graça).

Aqui a receita foi feita para 6 pessoas que comem muito bem, portanto vou passar na íntegra e aí é só dividir os ingredientes caso queira uma porção menor. Ah, grau de dificuldade zero certo?! (Minha irmã não vai gostar deste detalhe...kkkk).


Ingredientes:

- 2 kgs de carne moída (usamos patinho, passado duas vezes na máquina)
- 1 cebola ralada
- 1 cenoura grande ralada
- 1 lata de ervilha
- 200 gr. de mussarela
- 200 gr. de presunto
- sal e pimenta
- cheiro-verde
- 1/2 xícara de azeitonas verdes picadas

Preparo:

Em uma vasilha coloque a carne moída, tempere com sal e pimenta a gosto, ou tempero pronto, fica a gosto de cada um, coloque a cebola ralada e misture bem.
Em uma superfície lisa, abra filme plástico ou um bom pedaço de papel alumínio e coloque a carne sobre ele. Com a ajuda de um rolo de macarrão, abra a carne até ela ficar numa espessura que dê para enrolar, aí é no olhômetro mesmo.
Coloque por cima o presunto, a mussarela, a cenoura, a ervilha, as azeitonas e o cheiro-verde.
Agora enrole com cuidado e utilize o filme plástico para ajudar no processo.
Unte uma assadeira com óleo e coloque o rocambole na assadeira. Deixe por umas 3 horas em forno baixo e levante apenas para corar.
Fatie e sirva.

Delíciaaaaaa!!!
Irmã cozinha que é uma beleza.

Beijos,
Fla